ESTIVE NO HOSPITAL

19/04/2011

FRATERNIDADE E A VIDA NO PLANETA

FRATERNIDADE E A VIDA NO PLANETA

“A criação geme em dores de parto” (Rm 8,22)

Arquidiocese de São Paulo – Região Episcopal Ipiranga

CURSO DE CAPACITAÇÃO DE LIDERANÇA A DISTÂNCIA

MÓDULO 3 - 3ª. Semana – VER: Questão Energética

Caro(a) cursista,

Estamos na terceira semana de capacitação!

Inicie sua reflexão colocando-se em atitude de oração diante de Deus, abra-se para o Espírito e ouça o convite de João Batista: Ouço uma voz vinda da montanha: preparai o caminho do Senhor!.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo! Amém!

Oremos:

Senhor Deus, nosso Pai e Criador. A beleza do universo revela a vossa grandeza, a sabedoria e o amor com que fizestes todas as coisas, e o eterno amor que tende por todos nós.

Pecadores que somos, não respeitamos a vossa obra, e o que era para ser garantia da vida está se tornando ameaça. A beleza está sendo mudada em devastação, e a morte mostra a sua presença no nosso planeta.

Que nesta Quaresma nos convertamos e vejamos que a criação geme em dores de parto, para que possa renascer segundo o vosso plano de amor, por meio da nossa mudança de mentalidade e de atitudes.

E, assim, como Maria, que meditava a vossa Palavra e a fazia vida, também nós, movidos pelos princípios do Evangelho, possamos celebrar na Páscoa do vosso Filho, nosso Senhor, o ressurgimento do vosso projeto para todo o mundo. Amém!

Leitura do Livro do profeta Isaías (11, 1-10):

Naqueles dias, nascerá uma haste do tronco de Jessé e, a partir da raiz, surgirá o rebento de uma flor; sobre ele repousará o espírito do Senhor: espírito de sabedoria e discernimento, espírito de conselho e fortaleza, espírito de ciência e temor de Deus; no temor do Senhor encontra ele seu prazer. Ele não julgará pelas aparências que vê nem decidirá somente por ouvir dizer; mas trará justiça para os humildes e uma ordem justa para os homens pacíficos; fustigará a terra com a força da sua palavra e destruirá o mau com o sopro dos lábios.

Cingirá a cintura com a correia da justiça e as costas com a faixa da fidelidade. O lobo e o cordeiro viverão juntos e o leopardo deitar-se-á ao lado do cabrito; o bezerro e o leão comerão juntos e até mesmo uma criança poderá tangê-los. A vaca e o urso pastarão lado a lado, enquanto suas crias descansam juntas; o leão comerá palha como o boi; a criança de peito vai brincar em cima do buraco da cobra venenosa; e o menino desmamado não temerá pôr a mão na toca da serpente. Não haverá danos nem mortes por todo o meu santo monte; a terra estará tão repleta do saber do Senhor quanto às águas que cobrem o mar.

Naquele dia, a raiz de Jessé se erguerá como um sinal entre os povos; hão de buscá-la as nações, e gloriosa será a sua morada.

- Palavra do Senhor.

2

1. Questão Energética

Inicialmente temos uma série de fatos e fenômenos a apresentar para entender o que é a QUESTÃO ENERGÉTICA na atualidade. São eles:

Na primeira fase da revolução industrial as maquinas eram movidas a vapor;

Depois substituída pelo carvão (matriz fóssil de energia):

o ALTAMENTE POLUIDORA

A Industrialização vai se intensificando e novas tecnologias são aplicas e novas fontes de energias são adotadas: a base do petróleo (matriz fóssil de energia), da energia elétrica (geradas por grandes usinas hidrelétricas) e pela energia nuclear;

A ENERGIA é um recurso muito importante não apenas para o setor econômico e produtivo de uma sociedade. Ela é principalmente um instrumento de garantia para promoção da qualidade de vida das pessoas e suas respectivas famílias:

PASSADO - 1910

HOJE - 2010

Luz a base de querosene ou vela;

Iluminação a base da energia elétrica;

Não havia como conservar os alimentos por muito tempo;

Os alimentos podem ser conservados em geladeiras;

Não existiam equipamentos eletrônicos;

Grande parte das residências possui equipamentos eletrônicos que dependem da energia elétrica;

As ruas, vielas e passeios não eram iluminados;

Grande parte das ruas de uma cidade é iluminada

Como o passar do tempo, a produção de novos conhecimentos, o desenvolvimento tecnológico e o aumento da produção em escalas superiores podemos afirmar que o MODO DE VIDA produzido artificialmente e assimilado culturalmente pela maioria da população vem provocando os problemas que já abordamos: Aumento da poluição do ar, da terra e da água; Aquecimento global; Diminuição de áreas verdes nos grandes centros urbanos; O uso dos recursos da natureza de forma irresponsável e em função do lucro;

Por fim, concluímos com o item 33 do Texto Base da CF 2011: “O impressionante desenvolvimento econômico alcançado com a industrialização foi possibilitado por matrizes energéticas renováveis e não renováveis”.

3

Quais são as principais matrizes energéticas?

Matrizes não renováveis são aquelas que se encontram na natureza em quantidade limitada:

o Combustíveis fósseis:

 Carvão

 Petróleo

 Gás Natural

o Urânio (matéria que produz por fissão ou fusão nuclear)

SÃO CONHECIDAS TAMBÉM COMO ENERGIA CONVENCIAL, POIS É A MAIS UTILIZADA!

TAMBÉM SÃO DENOMINADAS COMO ENERGIA SUJA, POIS PROVOCA DANO A NATUREZA:

- destruição das florestas e da flora em geral;

- contaminação de solos e águas;

- provoca dano à saúde humana;

Matrizes renováveis são aquelas que se encontram também na natureza, são autóctones e não poluentes:

o Energia solar

 O Brasil, com sua dimensão territorial e localização próxima da linha do Equador, encontramos esta fonte com grande disponibilidade;

 Onde está o problema? No custo do equipamento para capactação da energia solar;

 Onde está a solução? No investimento público para aprimorar a tecnologia e favorecer a aquisição por parte dos cidadãos;

 Onde pode ser usada? A energia produzida pode ser usada para o aquecimento da água, no uso de elevadores residencial ou de pequenos edifícios, na iluminação de áreas coletivas, etc;

o Energia eólica

 Também aqui podemos dizer que o Brasil se destaca por conta do tamanho da costa litorânea;

 É necessária a ampliação desta rede que permite usar os ventos como força para produzir a energia;

o Energia hídrica

 No período desenvolvimentista no Brasil da década de 50 e seguintes, muito se construiu as usinas hidrelétricas;

 Porém a problemas que merecem ser destacados: descolamento de populações de territórios, a perda do ecossistema originário do local a ser implantada a barragem, a vida das espécies aquáticas não sobrevivem;

o Energia oceânica

4

 Novamente temos aqui grande potencial de captação de energia a partir das

ondas e do movimento das marés;

 Falta investimento suficiente por parte do poder público;

o Energia geotérmica

 Novamente temos aqui grande potencial de captação de energia a partir do

calor subterrâneo;

 Falta investimento suficiente por parte do poder público;

o Biomassa

 É a energia produzida na combustão de materiais vegetais como bagaço da

cana moída;

 É uma fonte poluente;

Na verdade, todas são inesgotáveis em termos, pois depende das condições climáticas e da própria

natureza. Outra importante observação, mesmo a utilização em excesso e irresponsável das energias

acima a ação humana provocará alterações na ordem da própria natureza;

Como observamos há uma grande diversidade de formas de se produzir energia de forma responsável e

equilibrada, diminuindo inclusive a interferência humana sobre as condições da natureza. Mas tanto o

poder público e principalmente o setor econômico da sociedade não tomam uma atitude decisiva no

sentido de definir um plano de desconcentração de um único modelo energético e a adoção de novas

matrizes (no caso, renováveis e limpas) a médio e longo prazo.

5

Argumentam que os investimentos aplicados nas fontes energéticas a base de combustíveis fósseis e de usinas hidrelétricas são ainda necessários para o maior aproveitamento destes recursos. A situação, no caso brasileiro, é ainda mais preocupando com a descoberta de petróleo na camada do pré-sal na região sudeste do país.

Texto Base, item 39: ... O grande problema é que o mercado gerenciador e a indústria que opera na produção destas energias não pretendem perder esta fonte de lucro. Assim, se os governos não tomarem iniciativas firmas e liderarem esta mudança de paradigma, a situação tende a agravar-se.

Enquanto há um esforço crescente da sociedade civil, das igrejas, dos movimentos ambientalistas em começar um processo de conscientização e de mudança de comportamento para preservar o meio ambiente e a própria vida humana os Estados e as grandes corporações empresariais ainda insistem em manter a produção de bens a base de mecanismos que aceleram a deterioração do meio ambiente: Maior produção, leva a: Maior emissão de gazes poluentes, que provoca: O efeito estufa, e por conseqüência: O Aquecimento Global se intensifica.

Processo este associado também a lógica de um consumo irresponsável, poluidor, desnecessário, desigual e desumano.

A fim de conter a emissão de gases poluentes na atmosfera os países industrializados definiram que entre os anos de 2008 a 2012 seria reduzido em 5,2% a emissão de gases de efeito estufa. Este acordo ficou conhecido como PROTOCOLO DE KYOTO, que infelizmente o que não ocorreu até o presente momento.

Agora estamos assistindo a implementação de uma política NEODESENVOLVIMENTISTA no Brasil que é preocupante:

 76% da emissão de gases no Brasil se dá por conta do uso da terra (parte dele provocados pelos desmatamentos e queimadas);

 Somente 24% é da emissão de gás por conta de uso de combustíveis fósseis;

 Preocupante os PAC (Plano de Aceleração do Crescimento) que estabelece a criação de novas usinas hidrelétricas na região da Amazônia;

 Atenção para os possíveis acesos na reativação da produção de energia atômica;

 Como em outras CFs a Igreja Católica vem reafirmando a importância da preservação da Amazônia e da biodiversidade, inclusive a riqueza cultural e a ecologia humana ali presente;

 Muito se argumenta sobre os lucros do uso do petróleo da camada do Pré-Sal e pouco se fala dos danos ambientais;

Veja a conclusão no Texto Base número 43:

6

A LÓGICA DESTES PROJETOS ENERGÉTICOS ESTÁ NA CONTRAMÃO DAS MEDIDAS NECESSÁRIAS PARA DIMINUIR OU CONTER O AQUECIMENTO GLOBAL E IMPDIR QUE A DESESTABILIZAÇÃO DO CLIMA COLOQUE EM RISCO AS CONDIÇÕES DE VIDA NO PLANETA.

A LÓGICA NEODESENVOLVIMENTISTA, ILUSTRADA PELO PAC, ATENDE, ESPECIALMENTE, A INTERESSE DO CAPITAL, DE INVESTIDORES, DA INDÚSTRIA DAS GRANDES OBRAS, ÁVIDOS POR LUCRO.

CERTAMENTE, A CONSEQUENCIA IMEDIATA É A DÚVIDA SOBRE AS REAIS INTENÇÕES DO BRASIL EM RELAÇÃO AO COMPROMISSO DE CONTRIBUIR PARA O CONTROLE DAS EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA.

2. Indicação de Leitura

• BOFF, Leonardo. Ecologia: grito da terra, grito dos pobres. Rio de Janeiro: Sextante, 2004.

• ___. Saber cuidar. Ética do humano – compaixão pela terra. Petrópolis: Vozes, 1999.

• UNGER, Nancy Mangabeira. O encantamento do Humano. Ecologia e espiritualidade. São Paulo: Loyola, 1991.

• VVAA. Cuidar o futuro. Um programa radical para viver melhor. Lisboa: Trinova Editora.

• TRIGUEIRO, André. Meio ambiente no século 21. Rio de Janeiro: Sextante, 2003.

• GOMES NETO, Emílio Hoffmann. Hidrogênio, evoluir sem poluir. Curitiba: Brasil H2 Fuel Cell Energy, 2005.

• MOREIRA, Alberto da Silva. O dom da terra. Leitura teológica dos conflitos agrários no Brasil. Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco/ Comissão Pastoral da Terra, 2006.

3. Exercício:

1) Quais as atitudes que você pode adotar na sua vida familiar e residência para diminuição do uso de energia?

2) Você considera justo que o custo da energia usada para atender as necessidades humanas seja mais cara que a energia utilizada pelos grandes empreendimentos comerciais e industriais?

3) Você conhece o MAB – Movimento dos Atingidos por Barragens? Faça uma pesquisa e relate quais são suas principais lutas.

4) Complete o quadro comparativo entre o passado e o hoje nas mudanças de ordem pessoal, familiar e social:

PASSADO - 1910

HOJE - 2010

Luz a base de querosene ou vela;

Iluminação a base da energia elétrica;

Não havia como conservar os alimentos por muito tempo;

Os alimentos podem ser conservados em geladeiras;

Não existiam equipamentos eletrônicos;

Grande parte das residências possui equipamentos eletrônicos que dependem da energia elétrica;

As ruas, vielas e passeios não eram iluminados;

Grande parte das ruas de uma cidade é

7

iluminada

Envie para: cfonline@uol.com.br

Contato:

Edson Silva – Coordenador da CF Região Episcopal Ipiranga e Arquidiocese de São Paulo

E-mail: cfonline@uol.com.br

Equipe responsável:

Armando Souza Amaral – Instituto São Paulo de Cidadania e Política

Conceição Aparecida Dell´Andrea – CF Setor Anchieta

David Trombelli – CEBs Região Episcopal Ipiranga

Edna Márcia Perez Pires – Catequese da Região Episcopal Ipiranga

Edson Silva – CF (Arquidiocesana/Região Episcopal Ipiranga)

Elenice de Souza Pandeiro – CF Setor Anchieta

Francisco Luiz Rodrigues – Engenheiro / Especialista em Resíduos Sólidos

José Miguel Justo – Casa da Solidariedade / Centro Oscar Romero de Direitos Humanos

Maria Auxiliadora Galhano Silva (Dora) – CF Setor Vila Mariana

Neyde – CF Setor Ipiranga

Rosangela Macieal – CF Setor Imigrantes

Rosilene Wansetto – Rede Jubileu Sul Brasil

Teresita Souza Amaral – Instituto São Paulo de Cidadania e Política

ORGANIZAÇÃO:

Equipe Regional de CF – Região Episcopal Ipiranga

CF Arquidiocese de São Paulo

Apoio:

Conselho de Leigos da Arquidiocese de São Paulo

CLASP

8

www.claspnet.org.br

Conselho de Leigos da Região Episcopal Ipiranga- CLERI

CEBS – Região Episcopal Ipiranga

www.cebs-sul1.com.br

Centro Oscar Romero de Direitos Humanos

COR

Casa de Solidariedade ao Desempregado

Região Episcopal Ipiranga

www.casadasolidariedade.org.br

Instituto São Paulo de Cidadania e Política

www.cidadaniaepolitica.org.br

www.jubileubrasil.org.br

07/04/2010

ESTIVE NO HOSPITAL

Estive internado no Hospital América neste final de sema. Já estou em casa.